SPIP

[ar] [ast] [bg] [br] [ca] [co] [cpf] [cs] [da] [de] [en] [eo] [es] [eu] [fa] [fon] [fr] [gl] [id] [it] [ja] [lb] [nl] [oc] [pl] [pt] [ro] [ru] [sk] [sv] [tr] [uk] [vi] [zh] Espace de traduction

Download

SPIP 1.8

Maio de 2005 — mis à jour le : Novembro de 2012

Todas as versões deste artigo :


Sexta-feira, 1º de abril de 2005: [SPIP 1.8] está disponível para download no endereço www.spip.net/spip-dev/DISTRIB/.

Esta nova versão do SPIP é fruto de mais de um ano de trabalho (a versão 1.7 data, na realidade, de janeiro de 2004), e é impossível de listar aqui todas as novidades de forma exaustiva.

Foram envidados esforços expressivos para que a atualização de sites em quaisquer versões anteriores de SPIP ocorra sem (muitas) dificuldades, apesar das transformações importantes (visíveis e invisíveis) de todos os componentes do programa.

No caso de problemas na atualização, não hesite a pedir ajuda na lista spip@rezo.net, ou a consultar o novo site de fóruns da comunidade SPIP, no endereço http://forum.spip.org/.

A área restrita

A transformação mais espetacular é certamente a da área restrita. Ele se beneficiou de uma completa reformulação gráfica e ergonômica, permitindo publicar mais rapidamente e navegar mais facilmente.

PNG - 149.4 kb

Ferramentas de apoio à publicação

Surgiram diversas ferramentas de apoio à publicação:

O corretor ortográfico

Uma vez publicada uma matéria, os erros ortográficos podem ser corrigidos graças a um servidor externo de correção.

Uma nota a propósito: o corretor ortográfico não é instalado «localmente», as palavras a serem verificadas são enviadas (desordenadamente) aos «servidores ortográficos» desenvolvidos pelo SPIP Lab’ e disponibilizados para você por diversos membros da comunidade de usuários do SPIP. De modo a evitar abrir uma brecha de «confidencialidade», é solicitado aos webmasters que o desejarem, que ativem expressamente esta funcionalidade no seu site.

A visualização prévia

Assim que uma matéria é proposta para publicação, cada usuário (administrador ou redator, de acordo com a configuração do site) pode visualizá-la usando o gabarito do site. Dessa forma, pode-se verificar a correta exibição final da matéria sem precisar «publicá-la» e depois «despublicá-la».

O histórico de modificações

Para facilitar o acompanhamento editorial e a redação colaborativa, [SPIP 1.8] introduziu o histórico de modificações (igualmente desenvolvido pelo SPIP-Lab). Pode-se, deste modo, obter uma lista das últimas matérias editadas, e ver as modificações feitas entre diferentes versões de uma matéria.

O portfólio

[SPIP 1.8] introduz uma nova diagramação para os documentos associados a uma matéria. Todos os documentos associados a uma matéria — que não se encontrem já no texto — são exibidos num portfólio abaixo do documento.

A partir deste portfólio, pode-se facilmente editar título e descrição de um documento. Pode-se também — se as bibliotecas gráficas corretas estiverem instaladas e configuradas no servidor — rodar as imagens em 90 ou 180 graus.

Este portfólio é completado pela possibilidade de associar diversos documentos a uma matéria, de uma única vez. Pode-se:

  • gravar todos os documentos a associar a uma matéria num subdiretório de ecrire/upload/ ;
  • associar um arquivo zip à matéria. Tem-se, assim, a possibilidade de descompactá-lo e associar os documentos nele contidos à matéria.

Uma matéria da documentação explica a utilização das ferramentas de tratamento de imagens.

Espaço público

Localização dos arquivos de gabaritos

Os gabaritos padrão (antes chamados de «article-dist.html») fornecidos com [SPIP 1.8] não ficam mais na raiz do site, mas no subdiretório dist/; este de acordo com um início de reorganização dos arquivos do SPIP, que permite colocar os gabaritos personalizados no diretório squelettes/, e não apenas na raiz do site (a configuração eventual da variável $dossier_squelettes é sempre aceitável).

Novo compilador de gabaritos

Inovação menos espetacular, mas sem dúvida alguma tão importante quanto as precedentes, [SPIP 1.8] introduziu um «compilador de gabaritos». Inicialmente apresentado no site SPIP Contrib’, este compilador viabilizou, depois de meses de trabalho exaustivo, a recodificação completa do sistema que permite ao SPIP interpretar a linguagem dos laços, das tags, dos filtros e dos critérios.

As vantagens diretas desta recodificação não são necessáriamente evidentes à primeira vista. O importante (além da superação de certas restrições de programação que começavam a pesar demasiadamente, e de uma melhoria geral do código) é que ela permitiu a introdução de facilitada de novos <BOUCLES()>, de novos {critérios} e de novas #BALISES com a simples inclusão de funções no arquivo mes_fonctions.php3 — da forma idêntica aos |filtros das versões anteriores do SPIP.

Um bom exemplo é a contribuição Retrato ou Paisagem? publicada no SPIP Contrib’, que oferece três novos critérios de classificação das imagens: {portrait}, {paysage} e {carre}.

Este novo modelo deverá trazer ao desenvolvimento do SPIP um fervilhar de contribuições, que já começa a se fazer sentir. Se você, pelo seu lado, desenvolver novas funcionalidades para o SPIP, não deixe de as compartilhar com toda a comunidade!

De passagem, note-se que agora se pode:

-  Integrar um laço no código opcional precedente de um outro laço (entre <B_articles> e <BOUCLE_articles(ARTICLES){critérios...}>).

-  As balizas podem ser embutidas umas nas outras como, por exemplo: [ [(#SURTITRE)] (#TITRE)]

-  Igualmente, pode-se inserir <INCLURE()> nas partes opcionais de uma baliza:
[<INCLURE(debut.php3)>(#SURTITRE) ]

-  Nos gabaritos pode-se acessar qualquer campo de uma tabela, sem programação adicional, através da baliza #NOM_DU_CHAMP

-  A sintaxe #_nome:TEXTE permite acessar a balisa #TEXTE do laço envolvente chamado _nome. Desta forma, pode-se acessar balizas de laços envolventes cujos nomes seriam ambíguos no contexto do laço atual (tipicamente, #TITRE e #_rubrique:TITRE).

-  Pode-se usar uma baliza na avaliação de um critério: {titre = #TITRE}

-  Ao se definir novos laços, pode-se acessar tabelas que se encontram em outras bases de dados.

Um depurador acompanha o compilador:
-  por um lado, o webmaster vê a exibição de mensagens de erro, no caso de problemas na construção dos seus gabaritos;
-  por outro lado, ao substituir na URI de recálculo da página o código var_mode=recalcul por var_mode=debug, o webmaster tem acesso a um modo de visualização queexpõe precisamente o código PHP e MySQL produzido pelo compilador, a partir dos gabaritos. Umaferramenta um tanto difícil à primeira vista, mas preciosa para aqueles que desejam compreender em detalhe o funcionamento de tal ou tal balisa — especialmente quando se trata de se construir novas.

Traduções

[SPIP 1.8] se beneficia também do importante trabalho da sua comunidade de tradutores sempre crescente. Ele já está disponível nos 32 idiomas a seguir, freqüentemente com uma documentação completa (as traduções estreantes estão assinaladas em bold):

codelanguetrad.
ar العربية árabe
bg български búlgaro
ca català catalão
cpf Kréol réyoné creolo da Reunião
cpf_hat Kreyòl ayisyen haitiano
da dansk dinamarquês
de Deutsch alemão
en English inglês
eo Esperanto esperanto
es Español espanhol
fa فارسى farsi
fon fongbè fongbe
fr français francês
gl galego galego
hu magyar húngaro
it italiano italiano
ja 日本語 japonês
lb Lëtzebuergesch luxemburguês
nl Nederlands holandês
pl polski polonês
pt Português português
pt_br Português do Brasil português do Brasil
ro română romeno
vi Tiếng Việt vietnamita
zh 中文 chinês

e sempre as 7 variedades do occitano: òc auvernhat, òc gascon, òc lemosin, òc lengadocian, òc niçard (en deux parfums), òc provençau, òc vivaroaupenc!

Os tradutores e aprendizes de tradutor são bem vindos, para todos os idiomas da Terra. Há lugar para todos. Faça circular a informação e não hesite em «engajar» os seus amigos! A página de referência das traduções é a www.spip.net/rubrique4.html; contato por e-mail, na lista spip-trad@rezo.net

Outras novidades

Novos atalhos

Alguns novos atalhos fizeram sua aparição:

-  agora pode-se inserir código LaTEX em uma matéria graças à baliza <math>. Este código será tratado por um servidor externo para o transformar em uma imagem que será integrada ao texto.

Por exemplo, o texto a seguir:

<math>o valor de $x$ é $\sqrt{\frac{y^{2}}{z^{2}}}$</math>

será exibido sob a forma de:

o valor de x é \sqrt{\frac{y^{2}}{z^{2}}}

-  o atalho -- será substituídopor um travessão —.

Novas balisas, critérios e filtros

Alguns novos filtros, critérios e balisas são listados na documentação, acompanhados da menção [SPIP 1.8].

Assinalamos, por exemplo, para os amantes dos layouts ao estilo dos «blogs», o filtro |unique que garante que um elemento recorrente (uma data, por exemplo) não seja exibida mais de uma vez; ou ainda o critério {id_article IN 1,2,3} que exibe as matérias 1,2 e 3, nesta ordem.

Compatibilidade

PHP 4.0.8, PHP 5. A versão mínima suportada é, a partir de agora, a 4.0.8 com a biblioteca preg instalada. [SPIP 1.8] é compatível com o PHP 5. A compatibilidade com o PHP 3, em contrapartida, foi abandonada.

Note: Por razões «historiques», os arquivos da distribuição oficial continuam a se chamar xxx.php3; este esquema de nomeação desaparecerá na próxima versão do SPIP, em favor de xxx.php. Uma versão php de [SPIP 1.8], contudo, está disponível para download.

MySQL 3, 4.1.x Nenhum problema de compatibilidade com MySQL foi identificado até às versões 4.1.x. Se no entanto você encontrar um problema com o MySQL 4.1, agradecemos que o exponha na lista de desenvolvimento, spip-dev@rezo.net

Bibliotecas gráficas. [SPIP 1.8] suporta a geração de vinhetas com o NetPBM que é facilmente instalável por FTP (vêr http://gallery.menalto.com/modules.... nos serviços de hospedagem onde ainda não está presente), mas também com GD1, GD2, e Imagick (em módulo php, ou em linha de comando sob o nome «convert»).

«W3C.» O motor de atalhos faz o possível por estar em conformidade com as recomendações do W3C em matéria de codificação do HTML. No entanto, isso não é perfeito em todas as situações, especialmente quando os usuários incluem textos comportando balisas complexas ou código HTML.

Note: Em algumas instalações, e na condição de que os seus gabaritos estejam devidamente codificados, é possível obter-se um resultado conveniente ao se ativar a extensão tidy do PHP — incluir, para tal, a linha <?php $xhtml=true; ?> no arquivo mes_fonctions.php3. Esta parte está ainda em desenvolvimento e a sua experiência nos interessa!

Sem esquecer:

  • Um novo módulo de gerenciamento de URL foi integrado: trata-se do modo «urls propres», que permite transformar o endereço http://meusite/article.php3?id_article=17 para qualquer coisa que se pareça com http://meusite/tituto_de_l_materia;
  • Os fóruns são indexados no motor de busca. Esta indexação não é individual mas por assunto de discussão (todas as respostas a partir do «pé» de um thread) ; a variável id_thread e as balisas #ID_THREAD e #URL_FORUM fazem sua estreia.
  • O laço (HIERARCHIE) é tratada de modo mais redondo: agora pode-se montar {inverse}, {par hasard}, {n-2,1}, {par titre} etc.
  • o sistema de cache gerencia uma cota de espaço em disco ocupado no servidor (ajustada inicialmente para 5 MB);
  • a inserção de documentos agora é gerenciada pelos <div> e folhas de estilo;
  • o atalho {{ }} agora é transformado em <strong>;
  • a sindicação aceita os fluxos nos formatos Atom 0.3, RSS 0.91, RSS 1.0 e RSS 2.0; as correções feitas no site sindicado são retomadas pelo SPIP quando ele integra o fluxo, e os campos <modified> e <lastBuildDate> a partir de agora alteram a data das matérias sindicadas; por seu lado, a sindicação de fluxo «javascript» foi abandonada (mas será que ela foi alguma vez usada?);
  • os arquivos de localização podem ser colocados no mesmo diretório dos gabaritos;
  • o arquivo ecrire/lang/perso.php3 desaparece, ele é substituído pelos arquivos local_xx.php3 que podem ser colocados no diretórios dos gabaritos [1]. xx especifica um código de idioma, este arquivo terá prioridade sobre os outros módulos de localização do mesmo idioma. O arquivo local.php3, caso exista, foi finalmente incluído e permite todos os hacks imagináveis.
  • pode-se acompanhar a atividade do SPIP nos seus arquivos de log: ecrire/data/spip.log e ecrire/data/mysql.log
  • A ajuda online não é mais fornecida por padrão, ela funciona em modo client/serveur, com download automático a partir do site spip.net.
  • Enfim, last but not least, a Agenda da área restrita foi inteiramente revista.

* * *

Divirta-se!

Download

Como de hábito, o download do SPIP é feito a partir de www.spip.net/spip-dev/DISTRIB/. A atualização faz-se de modo clássico, Ver Effectuer une mise à jour. Os sites instalados com a ajuda do spip_loader podem ser atualizados automaticamente.


Exibir o modelo desta página Sítio realizado com SPIP | Espace de traduction | Área privada